quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O SENSO DE JUSTIÇA

Correspondência enviada hoje ao Presidente do TJRS.
Maria Marçal
 
 
 
Registro em Zero Hora de 23-10-2012 - Segundo Caderno



Senhor Presidente do Tribunal de Justiça do RS

Acredito que nesses anos todos que luto por termos a liquidação da 'conta URV" pelo Tribunal de Justiça, a exemplo do ocorrido com a magistratura, sempre me dirigi em nome de todos colegas que hoje são centenas e centenas da capital e interior.

Desta feita quero falar em meu nome, como servidora aposentada e que tive a honra de trabalhar, logo de meu ingresso no Tribunal de Alçada (à época) com Vossa Excelência, Des. Marcelo B. Pereira.

A democracia, Senhor Presidente, nos permite a faculdade da liberdade de expressão, logicamente, calcada no respeito e esse é meu norte quando levo meus apelos às Administrações (passado e presente) do TJRS no que se refere a igualdade de direitos dentre servidores e magistrados, mais especialmente no tocante as urvs.

Vimos com o julgamento da Ação Penal 470 que não temos que temer a Justiça nem, tampouco, nos sentirmos incapacitados de buscar pelo que é certo, muito pelo contrário, devemos perseguir incansavelmente pela verdade, pelo espírito humanitário nos corações dos dirigentes aplicadores da Lei, pela transparência nas ações públicas, resgatando-se, por consequência, o Senso de Justiça, elo incontestável na luta pelo Direito dos cidadãos.

Ao ler o Jornal Zero Hora de 23 corrente - Segundo Caderno, o que faço somente a noite, deparei, tristemente, com a notícia que meu Tribunal de Justiça havia promovido, na quinta-feira, um Jantar beneficente em prol do Centro de Reabilitação São João Batista num dos melhores e mais tradicionais hoteis de Porto Alegre, Plaza São Rafael.

Fiquei me perguntando e abatida, confesso, por que esta Administração - recém empossada - não atende nosso abaixo-assinado, datado de abril de 2012, onde rogamos 25 parcelas de URV (10 p/jun pp e 15 p/nov), quando mais de mil funcionários buscam pelas vias legais (processo com trânsito em julgado) minimizar a falta de um reajuste digno, visto que percebemos 6% em duas vezes e esses 4% de outubro se transformaram em 2% já que aceito pelos Poderes um realinhamento no desconto ao IPE.

A pergunta: onde está o senso de justiça se quem faz o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul 'andar com méritos' se vê com salário de 2% de reajuste e as parcelas reivindicadas de URV não chegam ao nosso bolso?

Esse jantar beneficiente poderia ter sido angariado em prol dos servidores da Justiça como reconhecimento pelo esforço que fazemos em mantê-lo na categoria de Melhor Tribunal do País.

Volto a dizer que fico triste em ver tanto luxo para atender (não tiro o mérito, lógico) uma Entidade e o TJRS não promover reajustes condizentes aos seus servidores (quase 50% de defasagem), não implantar o Plano de Carreira, não dar fim aos inumeráveis casos de doenças no trabalho e nem mesmo atender a um apelo de quase mil funcionários (URV).

Fico triste em perceber o quão distante estamos (servidores) do Senso de Justiça nesse quadro divulgado nas páginas sociais de nossa Zero Hora.

(Presidente - primeiro à direita)

Fico triste em saber que o Tribunal de Justiça julgou improcedente um pedido de antecipação de URV a uma colega com câncer e sem condições financeiras de arcar com o tratamento.

Fico triste, Senhor Presidente, de não encontrar guarida no coração de sua Administração a tantas e tantas dificuldades que não somente eu expresso em nome dos colegas como também as Entidades representativas (Sindjus/Abojeris/ASJ/Sindjuspralutar), as quais batem a sua porta em vão na busca pelo Senso de Justiça com igualdade de direitos.

Talvez Vossa Excelência me responderia que era de sua vontade nos dar um reajuste maior, mas que impedido pelos Limites Fiscais e o cuidado de dividir com justiça do Bolo orçamentário entre nós e a magistratura, o que entendo, mas a sensação de desigualdade, de ações sociais, agride a quem não tem o poder de Mudar com senso de justiça.

Meus respeitos,

Maria da Graça Marçal
Servidora aposentada
mgmarcal1@hotmail.com






0 COMENTÁRIOS: